Compartilhe

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Polícia Civil do Estado de São Paulo (DEINTER 9 – Piracicaba) deflagraram na manhã desta terça-feira (10) a Operação Sheik, voltada ao combate a uma extensa organização criminosa de tráfico de drogas, corrupção, lavagem de dinheiro, dentre outros delitos, com atuação predominante em Capivari. O Ministério Público informou, durante a coletiva de imprensa em sua sede em Piracicaba na tarde desta terça, que não divulgará os nomes das pessoas detidas.

Foram cumpridos 68 mandados de busca e apreensão e 29 de prisão preventiva, sendo 27 cumpridos e mais 8 pessoas foram presas em flagrantes com drogas. Oito veículos foram apreendidos, mais de 7 kg de drogas, R$ 30 mil em dinheiro, uma arma de fogo, materiais para embalo, anotações e telefones celulares. Os veículos eram de propriedade de integrantes da organização criminosa e que vinham sendo utilizados constantemente para os interesses criminosos do grupo, principalmente para recolhimento de dinheiro nos pontos de tráfico de drogas.



A operação levou o nome de Sheik em referência à forma como é conhecido um dos chefes da organização criminosa que foi preso. Ele é tido como o maior traficante de Capivari, com ramificações nos municípios de Rafard, Rio das Pedras, Americana, Santa Barbara D’Oeste e Hortolandia.

Há anos, Sheik e um extenso grupo de pessoas por ele comandadas, inclusive membros de sua família, dominam e comandam o tráfico de drogas em diversos bairros de Capivari.

Eles compõem uma rede de atuação coordenada e estruturada, com divisão de funções e áreas territoriais de atuação bem definidas, contando com inúmeros pontos de tráfico de drogas sob seu controle e comando, além de diversos estabelecimentos comerciais e outras atividades organizadas para dar vazão aos recursos obtidos com a traficância.

Dentre os integrantes da organização criminosa comandada por Sheik estão pessoas com extenso histórico de envolvimento criminal, incluindo homicídio, tráfico de drogas, roubo e associação para o tráfico, além de alguns integrantes da organização criminosa conhecida como PCC.



A operação é resultado de um longo, cuidadoso e detalhado trabalho de investigação desenvolvido pelo Gaeco e pela UIP – Unidade de Inteligência da Polícia Civil junto ao DEINTER 9 – Piracicaba, envolvendo diligências de campo, acompanhamento e observação, levantamento de dados, afastamento de sigilo telefônico, telemático, bancário e fiscal, tendo resultado na identificação de aproximadamente 45 pessoas, entre integrantes e apoiadores da organização criminosa.

Para realização dos trabalhos, a Polícia Civil destacou 160 policiais civis, parte dos quais compuseram 45 equipes destinadas ao cumprimento dos mandados judiciais coordenadas por 12 delegados de Polícia, incluindo os delegados Diretor do DEINTER 9 e da Unidade de Inteligência Policial, além de inúmeros agentes, investigadores e escrivães de polícia.

A operação contou também com o SAT – Serviço Aerotático (helicóptero) da Polícia Civil, conhecido como “Pelicano”, que sobrevoou Capivari e região durante todo o desenvolvimento dos trabalhos, contribuindo para sua conclusão de forma segura e eficaz.

As investigações prosseguirão para atingir outras frentes de atuação da organização criminosa, principalmente em relação à corrupção de agentes públicos (policiais civis e militares, servidores públicos municipais), lavagem de dinheiro e exploração de jogos de azar.