Compartilhe

Conta de luz vai ficar mais cara.

A Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel, confirmou um aumento, a partir do mês que vem, no valor das bandeiras tarifárias.



No caso da amarela, a taxa extra cobrada do consumidor pra cada 100 quillowats-hora subirá de um real para um e 50.

A bandeira vermelha é dividida em dois níveis. No primeiro, a taxa extra passará de três para quatro reais.

E, no segundo, de cinco para seis reais.

A ideia seria fazer que o valor pago pelos consumidores fique o mais perto possível daquele que realmente é gasto pra garantir o abastecimento.



O Governo diz que, nos últimos dois anos, houve um rombo de cinco bilhões de reais. Que, depois, é levado em conta na hora de definir os reajustes da tarifa.

As bandeiras são usadas desde 2015.

Na época de chuva, quando os reservatórios das usinas estão cheios, normalmente é adotada a verde, sem cobrança de taxa extra.

Conforme vem a seca, é necessário acionar as usinas térmicas, que geram uma despesa maior.

E, aí, são adotadas as bandeiras amarela, em vigor no mês de maio, e vermelha, nos casos mais graves.