Compartilhe

E uma história pra lá de esquisita está cercando o Aerosmith. Há alguns meses o baterista Joey Kramer, que está na banda desde a sua fundação em 1970, teve que dar um tempo nas atividades por causa de um problema de saúde que o deixou com “pequenas lesões”.

O problema é que quando ele se disse pronto para voltar, a banda pediu para que ele fizesse um teste usando um metrônomo, com o objetivo de mostrar que ainda tinha ritmo e energia para continuar controlando as baquetas da lendária banda de Rock And Roll.



De acordo com o site TMZ, a banda disse para o baterista que ele deveria se gravar tocando algumas canções da banda e a banda decidiria se ele teria capacidade para voltar. No processo, o baterista diz que esse peso para provar algo a uma banda com a qual divide os palcos há 50 anos causou muito estresse em sua vida, e o prejudicou no processo de retorno ao Aerosmith.

Ele ainda falou que teve que pagar 20 mil dólares por semana de shows e 10 mil dólares por semana de ensaios a um baterista substituto. Quando ele mandou a fita com as gravações, o vocalista Steven Tyler e os outros integrantes não gostaram do que ouviram e teriam pedido para que ele se recuperasse definitivamente antes de retornar.

A banda disse que Joey teve “várias oportunidades” para retornar mas ele não se comprometeu o suficiente e o Aerosmith não teve escolha. O processo vem justamente quando o grupo está escalado para se apresentar em um especial do Grammy com o projeto MusiCares, que irá homenagear Steven Tyler por suas iniciativas de apoio a mulheres que foram abusadas.

“Infelizmente ele não tem condições de tocar, mas é claro que nós o convidamos para estar conosco tanto no Grammy quanto na homenagem do MusiCares”.



Fonte: Tenho Mais Discos Que Amigos