Compartilhe

Atualizado em

Os dados mostram que nos seis primeiros meses deste ano, seis jornalistas foram mortos no Brasil.



Por Yuri Rossi

Um levantamento publicado pela ONG Press Emblem Campaign (PEC) apontou que o Brasil é o quarto país mais perigoso para o exercício da profissão de jornalista.

Os dados mostram que nos seis primeiros meses deste ano, seis jornalistas foram mortos no Brasil. Para a ONG essa é uma situação considerada de violência e atentado à liberdade de imprensa. Os números apontam ainda que no mundo 110 jornalistas foram mortos neste início de ano. Estatística essa que aumentou, pois no ano passado, foram registradas 107 mortes de profissionais.

O mais perigoso é a Síria, lá já foram registrados 32 mortos. A Somália está na segunda posição, com 16 profissionais do jornalismo assassinados e o México, na terceira, com dez .
Em relação ao mesmo período de 2011 a alta foi de 36%.