Compartilhe

Uso da energia produzida em Itaipu volta à mesa de negociações entre Brasil e Paraguai. Autoridades brasileiras e paraguaias se reúnem, nesta terça, feira, em Brasília, para estabelecer regras para compra e venda da energia excedente produzida pela Usina de Itaipu.

Acordo assinado em maio foi suspenso, há três semanas, após denúncias de falta de transparência e consulta à população, por parte dos membros do governo paraguaio, que aceitaram termos lesivos à economia do país.



A prioridade do Paraguai é aumentar o nível de energia excedente, que é mais barato do que a produção convencional, que exige do país vizinho a cessão de parte da produção, ao Brasil, para quitar custos do contrato de construção da hidrelétrica binacional.

O acordo definirá critérios para uso e comercialização do excedente, além da potência e volume de produção que deverá ser contratado.