Compartilhe

Mais de 22 mil jovens estão privados de liberdade no Brasil. Os dados são de levantamento feito pelo Conselho Nacional de Justiça.

De acordo com o CNJ, cerca de 22 mil, 640 crianças e adolescentes estão internadas em um dos 461 estabelecimentos socioeducativos do país. Esses jovens são acusados de terem praticado algum ato infracional.



O levantamento não leva em conta aqueles que cumprem medidas socioeducativas em liberdade assistida, em regime de semiliberdade e nem aqueles que, como pena, prestam serviços à comunidade.

Outro dado revelado pelo CNJ é que, dos mais de 22 mil menores privados de liberdade, 3 mil 921, o equivalente a 17% deles, são internos provisórios, ou seja, não há uma sentença judicial definitiva para o caso deles.

Segundo o ECA, o Estatuto da Criança e do Adolescente, o adolescente infrator pode ficar internado, aguardando decisão judicial, por, no máximo, 45 dias.