Compartilhe

Pesquisadores da Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia constataram que jovens que vivem em regiões carentes do país estão mais obesos.

Apesar do excesso de peso, continuam desnutridos.



O estudo, em parceria com a Fiocruz, é o primeiro do tipo no Brasil, que associa condições socioeconômicas à desnutrição e obesidade, ao mesmo tempo.

Os dados comparam condições de jovens entre 13 e 17 anos com sobrepeso e baixa estatura.

Os resultados apontaram o excesso de peso em todos os níveis sociais, agravado pela desnutrição nos casos de baixa estatura.

O aumento de peso cresceu 4 pontos percentuais entre estudantes de escolas públicas.



As causas, segundo os pesquisadores, estão associadas ao consumo de alimentos processados, mais baratos que os naturais, vendidos em grandes quantidades, que atraem mais o consumidor mais pobre.

O estudo considerou dados das pesquisas sobre saúde escolar realizadas em 2009 e 2015.