Compartilhe

O presidente da Câmara de Capivari, vereador Flávio de Castro Carvalho (PSDB) propôs Moção de Apelo ao governador do Estado de São Paulo, João Dória Júnior, pela duplicação das rodovias “Jornalista Francisco Aguirre de Proença” (SP 101) e “Comendador Mário Dedini (SP 308). A Moção foi aprovada por todos os vereadores na noite de segunda-feira (3), durante a 1ª Sessão Ordinária, no Palácio 10 de Julho.

Em 24 de dezembro de 2019, a Raízes FM abordou esse assunto durante o programa Primeira Página com uma matéria completa que falava a respeito da situação da Rodovias do Tietê, concessionária responsável pelas estradas. Relembre aqui!



Segundo o presidente, a Moção é um dos mecanismos de apelo ao Governo do Estado. O presidente falou que pedirá apoio de todos os presidentes das câmaras municipais vizinhas, para que também proponham a Moção em seus municípios.

“Já entrei em contato com as câmaras de Rafard, Mombuca, Elias Fausto e Monte Mor para que elas também realizem essa Moção de Apelo ao governador João Dória porque não podemos mais suportar o pagamento de pedágios sem termos estradas duplicadas; sabemos que a concessionária Rodovias do Tietê tem praticamente decretada sua falência, e temos um problema sério que é a duplicação da SP-101 – o único lugar do Estado de São Paulo onde falta duplicar – e nós estamos pagando pedágio desde 2009”, afirmou.

Carvalho lembrou que essa ação já foi realizada e obteve sucesso em outra ocasião.

“Nós faremos essa cobrança através da Moção de Apelo, como já o fizemos quanto ao retorno das perícias médicas do INSS para Capivari, e deu certo”, enfatizou.

Para o presidente do Legislativo de Capivari, os municípios da microrregião são prejudicados pela falta de estradas duplicadas.

“Faremos agora o movimento do Poder Legislativo com apoio dos prefeitos para que o João Dória coloque na licitação que o prazo de duplicação tem que ser cumprido; isso nos faz muita falta e não podemos mais ficar calados vendo que as obras de duplicação estão paradas e que os municípios de nossa microrregião sofrem com o atraso econômico pela falta das estradas duplicadas que permitem acesso e consequente estabelecimento de empresas e empregos para nossa população”, finalizou.