Compartilhe

Atualizado em

A ideia do encontro Memórias Vivas de Capivari é reunir todas as histórias em um livro.



Por Jean Bordini

Recordar é viver! Foi isso que aconteceu na última segunda-feira (30), no evento Memórias Vivas de Capivari, ocorrido na livraria Nobel.

O evento idealizado pelo ex Ministro do Trabalho e autor de livros, Dr. Almir Pazzianotto, reuniu diversos cidadãos capivarianos, entre eles professores, músicos, empresários, ex-prefeitos da cidade, vereadores atuais e moradores de Capivari de longa data.



A intenção do encontro foi reunir essas pessoas, para cada uma delas, contar suas histórias vividas em Capivari.

Almir Pazianotto, que nasceu em Capivari, abriu o evento contando suas recordações e momentos marcantes passados na cidade. Morando atualmente em São Paulo, Almir, com orgulho, fez questão de afirmar que Capivari é a melhor cidade do mundo.

Após seu discurso, diversos senhores e senhoras presentes no encontro começaram a contar suas lembranças.

A ex-professora Romilda Capossoli relembrou do hino de Capivari, que segundo ela, foi feito para comemorar o centenário da cidade.

A professora ainda citou uma frase: “Quem bebe a água de Capivari, volta para a cidade novamente”.

O ex-marceneiro, Orsines Toledo, relembrou diversas histórias vividas por ele e pelos amigos. O empresário Lolo Feraciu chegou a se emocionar ao relembrar uma história.

Entre muitas histórias contadas, uma senhora recordou a inauguração da rodoviária de Capivari. Segundo ela, o dia foi de grande festa e chegou a afirmar que hoje sente tristeza em ver o prédio destruído.

Para animar o evento músicos Capivarianos faziam a trilha sonora, inclusive um deles, o Miguelito, cantou uma música que ele fez em homenagem ao amigo Tónho Pilão.

O encontro Memórias Vivas de Capivari foi todo gravado. A ideia é se reunir mais vezes para posteriormente juntar todas as histórias em um livro.