Compartilhe

Sentir necessidade de comer em curtos intervalos de tempo, mesmo quando há ausência de fome, pode ser sintoma de compulsão alimentar.

O transtorno é considerado grave e pode vir acompanhado de sentimento de culpa e tristeza.



A pessoa se alimenta de forma descontrolada, come rápido e muitas vezes faz isso escondido. Geralmente, recorre à comida quando se sente frustrada, ansiosa, triste ou tensa.

De acordo com especialistas, o comportamento pode estar relacionado com a desregulação de dois neurotransmissores, a dopamina e a serotonina.

O primeiro deles, a dopamina, está associada a vício e a sensações de satisfação e prazer. Já a serotonina atua na regulação do apetite, do humor, do sono e é considerada o hormônio do bem-estar.

Medidas como evitar longos períodos de jejum, seguir os horários das refeições principais e ingerir bastante água podem contribuir para melhorar o quadro.



Além disso, é importante consumir alimentos que estimulem os neurotransmissores, como banana, kiwi, mirtilo, folhas verdes escuras e leguminosas.

Outras recomendações são procurar dormir bem, pois o cansaço leva a pessoa a comer mais açúcar a carboidratos, e buscar sempre a orientação de um especialista.