Compartilhe

O ano de 2020 tem sido especialmente difícil para o Corinthians. O Timão assumiu, agora em junho, o topo da lista dos clubes mais endividados com a União. O top 10 das dívidas com o governo federal foi publicado pela revista “Época”, tendo como base registros da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Saiba os clubes da Série A mais endividados com a União.

Novo líder do ranking, o Corinthians deve R$ 130.570.795,93 para a União. O levantamento anterior das dívidas com o governo federal tinha saído em dezembro de 2019 e, nele, o Timão devia R$ 32.006.805,94. Em seis meses, a dívida quadruplicou. O Corinthians deve R$ 125 milhões em débitos tributários e R$ 5 milhões em dívidas previdenciárias.



O Vasco ocupa a segunda colocação. Líder no ranking de dezembro de 2019, o Cruz-Maltino atualmente deve R$ 85.727.334,49. O valor devido há seis meses era de R$ 87.727.458,26.

A terceira colocação é do Sport. Em dezembro de 2019, o clube de Recife não tinha dívidas com o governo federal. Agora, o clube de Pernambuco deve R$ 63.236.636,08.

O Fluminense está em quarto lugar. O Tricolor carioca tem pendências de R$ 42.370.683,89. A dívida em dezembro de 2019 era de R$ 30.903.978,57.

O quinto lugar é ocupado pelo Botafogo. São R$ 17.723.393,70 devidos ao governo federal. Em dezembro de 2019, a pendência era maior, no valor de R$ 23.186.366,75.



A sexta posição tem a presença do Coritiba. O Coxa passou de R$ 6.346.504,68 há seis meses para R$ 17.125.558,19 em dívidas com o governo federal agora.

O Santos aparece na sétima posição do ranking. O Peixe não tinha dívidas com a União em dezembro de 2019, mas agora está com R$ 13.395.794,91 em pendências.

O Palmeiras é o oitavo colocado. São R$ 8.584.390,29 em dívidas com a União. O valor devido no ranking de dezembro de 2019 era de R$ 8.444.065,11.

A nona colocação está com o Bahia, que tem hoje R$ 104.998,83 em dívidas com a União. O clube não tinha dívidas com o governo federal em dezembro de 2019.

O top 10 é fechado pelo Fortaleza, que tem dívida atual de R$ 1,599,60. O valor pendente em dezembro de 2019 era de R$ 54.526,18.