Compartilhe

Vendas de medicamentos genéricos crescem 6,4 por cento, em 2019. Três vezes mais que o setor de remédios de referência, ou seja, os chamados produtos de marca.

Os números são da ProGenéricos, entidade que reúna a indústria do setor.



Ela calcula, ainda, que desde que chegaram ao mercado, no ano dois mil, os genéricos fizeram a população economizar mais de 150 bilhões de reais.

Atualmente, esses medicamentos respondem por um, de cada três remédios vendidos nas farmácias do País.

A entidade diz, ainda, que a procura por genéricos é grande, principalmente, por pacientes que precisam fazer uso contínuo.

No caso do tratamento de pressão alta e colesterol, por exemplo, esses medicamentos respondem por mais de 70 por cento das vendas.



Por lei, os genéricos devem custar no mínimo 35 por cento menos que os remédios de referência. E o setor garante que esse tipo de medicamento, apesar de mais barato, é seguro e eficiente.