Compartilhe

Cresce o número de pais e alunos que atrasam a mensalidade da faculdade ou da escola.

No caso dos ensinos infantil, fundamental e médio, o avanço da inadimplência foi de 5,9 por cento, na primeira metade do ano, na comparação com 2018. Já no ensino superior, a alta foi de 4,9.



Os números são da Serasa.

Os economistas responsáveis pelo estudo avaliam que a inflação foi o que mais pesou para o aumento do calote, na área da educação.

E que os preços mais altos dificultaram o pagamento da mensalidade, mesmo após o País se recuperar da recessão.

Em 2015 e 2016, no auge da crise, a inadimplência cresceu quase 12 por cento, em média.



Depois, em 2017 e 2018, com a melhora da economia, ela chegou a cair quase um e meio por cento.