Compartilhe

Número de dívidas transferidas de um banco para outro dispara 70 por cento, em 2018. Os números foram divulgados pelo Banco Central.

A chamada portabilidade do crédito permite que o consumidor endividado transfira esse débito para outra instituição financeira, pra aproveitar juros menores.

O total de vezes que isso aconteceu no ano passado passou de três milhões e meio de registros.



Entre os motivos que baixaram os juros e incentivaram a transferência de dívidas estão, por exemplo, a redução da Selic, que segue no patamar mais baixo da história, de seis e meio por cento, e a melhora da economia, que reduziu a inadimplência.

Na portabilidade do crédito, o saldo devedor e o prazo para pagamento da dívida não mudam.

A transferência vale, entre outras modalidades, para financiamento imobiliário e até para débitos com cartão de crédito e cheque especial.

Porém, vale lembrar que, além de calcular os juros, o consumidor deve ficar atento a outros gastos relacionados à portabilidade.

Como a possível cobrança de taxa para fazer o cadastro no novo banco e custos para transferir a dívida em cartório.