Compartilhe

Os casos de furto de combustível de dutos da Petrobras têm sido cada vez mais comuns no país.

De acordo com números da própria empresa, em 2016 foram registradas 72 ocorrências do tipo.



No ano passado, o número saltou para 261, sendo a maioria das ocorrências em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Pelos dutos da Transpetro, subsidiária de distribuição da Petrobras, passa, diariamente, volume equivalente ao que seria transportado por 20 mil caminhões-tanque.

Os roubos de combustíveis diretamente da malha custam à empresa mais de 150 milhões de reais por ano.

Apesar do valor ser alto, é uma cifra pequena quando comparado com as registradas no México, que sobre com as gangues especializadas em roubo de petróleo.



Por lá, o roubo de combustível custa à empresa responsável pelo menos um bilhão e meio de dólares todos os anos.