Compartilhe

Dengue ainda assombra a população e provoca mortes.

No Estado de São Paulo, a doença matou 19 pessoas em cidades do interior, entre o início do ano e o dia onze de fevereiro.



Do total de óbitos, dez foram registrados em Bauru, quatro em São José do Rio Preto, três em Araraquara e dois em São Joaquim da Barra.

Os números são do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado e podem aumentar, já que o órgão deve divulgar um novo boletim nesta semana.

A cidade de Bauru está em estado de emergência desde janeiro a já contabiliza quatro mil 875 pacientes infectados por dengue somente este ano.

Em São José do Rio Preto são dois mil 834 casos positivos da doença e em Araraquara, dois mil 790.



O risco de óbito é maior quando uma pessoa que já teve dengue uma vez sofre uma reinfecção do vírus e os sintomas se tornam mais graves.

Em Capivari

De acordo com Vigilância Epidemiológica até esta quinta-feira (14), Capivari registrou 32 notificações, sendo 17 negativas e 14 positivas.

Os casos positivos foram registrados nos bairros: Santo Antônio, Castelani, São José e Vila Fátima

Ainda houve 1 notificação de Chikungunya e outra de Zika Vírus, ambos os casos foram negativos.

Agente de saúde em visita a residência para orientar moradores | Foto: Divulgação

A Secretaria da Saúde intensificou as visitas técnicas dos agentes de saúde e visita, os bairros: Castelani, Vila Izildinha, Nova Aparecida e Vila Fátima. Ao todo, 22 bairros serão percorridos, sempre às quartas e quintas-feiras.

No último sábado (09), ocorreu a nebulização nas residências do bairro Santo Antônio para diminuir a proliferação do Aedes Aegypti, mosquito transmissor da Dengue.

Cerca de 500 casas passaram pelo processo de nebulização. A ação foi realizada na área onde foram confirmados casos positivos de dengue no bairro e nas ruas do seu entorno.

A nebulização foi realizada por meio de um atomizador acoplado a um veículo, que percorreu os pontos mais críticos do Santo Antônio, onde foram confirmados casos de dengue | Foto: Divulgação

O trabalho, que durou cerca de uma hora, foi feito com um atomizador acoplado ao veículo, e os moradores foram orientados a deixar janelas e portas das suas residências abertas para o inseticida entrar, a cobrir alimentos, a proteger os animais e retirar roupas e tecidos expostos no momento da aplicação.

Após meia hora da aplicação, os moradores puderam voltar a realizar normalmente suas atividades em suas casas.

Acabar com os focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, é a principal medida de combate à dengue.

A Campanha Xô Dengue chama atenção sobre as precauções para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. Confira como você pode colaborar: