Compartilhe

A terça-feira (11) foi agitada em Brasília com a aprovação de uma abertura de crédito e sobre o caso do vazamento de conversas do Ministro Sérgio Moro.

Sobre o crédito, o Congresso Nacional aprovou o projeto (PLN 4/2019) que autoriza a abertura de crédito suplementar no valor de R$ 248,9 bilhões para cobrir despesas correntes. A matéria será enviada à sanção presidencial.



Aprovado por unanimidade na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, o acordo precisou da maioria absoluta de votos em ambas as Casas, pois significa uma exceção à chamada “regra de ouro”.

Essa regra determina que o governo não pode emitir títulos e aumentar a dívida para pagar despesas cotidianas, como pagamento de salários ou programas contínuos. De maneira simplificada, é como alguém pegar dinheiro no banco para pagar o aluguel.

A Deputada Federal, Carla Zambelli (PSL-SP) comemorou a aprovação do PLN.

“Conseguimos finalmente aprovar o PLN 4, de 2019, que dá um crédito suplementar para o governo de 248 bilhões para quitar aposentadorias, PBC, ou seja, o beneficio daquelas pessoas que não conseguiram se aposentar e também oito bilhões para o Bolsa Família”, ressaltou Zambelli.

Em depoimento a imprensa, Carla lembrou o caso do vazamento das conversas do Ministro Sério Moro, segundo ela, essa questão é lembrada pela esquerda.

“Nós estamos bastante tranquilos, nós do governo, sabendo que confiamos irrestritamente no Sérgio Moro”, afirmou a Deputada.

Deputada Federal, Carla Zambelli (PSL-SP) | Foto: Reprodução


Ainda de acordo com Carla, as informações não condizem com a verdade.

“O conteúdo que foi vazado, que foi criminalmente inclusive vazado, pertence o ano de 2015 quando o governo ainda era do PT, ou seja, naquela época, já espionavam o Juiz Sérgio Moro, para tentar pegar alguma coisa de errado. Então estão dando a entender que os vazamentos aconteceram agora e que agora o ministro tentaria influenciar de alguma maneira a operação Lava Jato. O que não condiz com a verdade”, disse ela.

Para finalizar ela afirma que se for preciso vai as ruas em forma de protesto.

“Se precisar a gente vai às ruas para proteger o nosso Ministro Moro. Mexeu com Moro, mexeu com o povo brasileiro”, finalizou Carla Zambelli.