Compartilhe

Substância produzida pelo organismo poderá ser usada no tratamento do diabetes do tipo 2.

A descoberta foi feita pelo pesquisador brasileiro Luiz Osório Leiria durante pesquisa de pós-doutorado na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.



Ele identificou um tipo de gordura que é produzida e liberada pelo tecido adiposo marrom, que está relacionado principalmente à regulação térmica do corpo por meio da produção de calor.

Já o tecido adiposo branco está ligado com a obesidade e tem a função de acumular gordura, quando há excedente energético disponível.

O cientista utilizou a substância, chamada de lipídio 12-HEPE, para tratar camundongos obesos e verificou melhora na tolerância dos animais à glicose.

Ela promoveu a captação da glicose no tecido adiposo e no músculo e reduziu os níveis do açúcar no sangue, após os animais terem recebido uma injeção de glicose concentrada.



De acordo com o pesquisador Luís Osório Leiria, a descoberta pode resultar em um novo tipo de tratamento para pessoas que sofrem do diabetes do tipo dois.

Ele explica que nos pacientes com a doença, ocorre um defeito da capacidade do organismo em captar a glicose após uma refeição e com isso a glicemia permanece elevada por muito tempo.

A substância ainda não foi testada em humanos, mas testes já mostraram que pessoas obesas têm níveis reduzidos de 12-HEPE, o que de acordo com a pesquisa, pode contribuir para o aumento do açúcar no sangue.

As informações são da Agência Brasil.