Compartilhe

Divulgar notícia falsa pra interferir em eleição pode dar até oito anos de cadeia.

A lei sobre o assunto, que foi sancionada em junho, deixava fora o trecho que falava em criminalizar a prática de espalhar fake news. Esse veto, porém, agora foi derrubado pelo Congresso.



Na época, o presidente Jair Bolsonaro, ao deixar esse trecho de fora da Lei, explicou que já havia uma outra regra, no Código Eleitoral, sobre o assunto.

A pena, porém, era bem menor: no máximo dois anos.

O texto sancionado pelo presidente falava apenas em punir quem abrisse investigação ou processo contra um candidato que era sabidamente inocente.

A prática de espalhar notícias falsas com fins eleitorais, principalmente pela internet, tem ganhado força no mundo.



Tanto que uma das principais redes sociais do planeta, o Twitter, decidiu proibir a publicação de propaganda política.

Isso num momento quente nos cenários nacional e internacional.

Nos Estados Unidos, Donald Trump já trabalha de olho na reeleição, no ano que vem.

Sem esquecer que ele é acusado por opositores de ter espalhado fake news pela internet, quando foi eleito. A favor dele e contra os concorrentes.

Enquanto, no Brasil, está em andamento a CPI das Fake News.

Inclusive com acusações contra o presidente Jair Bolsonaro de também espalhar esse tipo de informação.