Compartilhe

Presidente Jair Bolsonaro deve aprovar em breve o decreto que autoriza a utilização de um único documento para a identificação dos cidadãos.

A proposta, elaborada pelo Ministério da Economia e pela Controladoria Geral da União, propõe o uso do CPF como uma espécie de número geral.

Ele poderá ser usado, por exemplo, para a pessoa ser atendida em órgãos de trânsito, que hoje exigem a carteira nacional de habilitação.



O secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luís Felipe Salin Monteiro, diz que todos os sistemas passarão a ter um campo para o CPF.

Segundo ele, o documento único já está nos ajustes finais e passará a valer um dia após a publicação no Diário Oficial da União.

Os órgãos terão três meses para ajustar os procedimentos de atendimento e nove meses para alterar as bases de dados dos cidadãos já cadastrados.

As informações são do portal Infomoney.