Compartilhe

Um das maiores redes sociais do mundo, Twitter decide proibir propaganda política.

O anúncio foi feito pelo presidente da empresa, Jack Dorsey.



Em uma postagem, ele mostrou preocupação, por exemplo, com a divulgação de fake news, que podem ser vídeos ou informações falsas. Que se espalham pra milhões de pessoas em questão de minutos ou até segundos.

A proibição passa a valer no dia 22 de novembro, mas uma semana antes o Twitter deve divulgar os detalhes de como isso será feito.

A direção da rede social avalia, ainda, que quando alguém paga pra que uma mensagem política tenha um alcance maior, pode criar fatos para os quais a democracia não está preparada. E que, nesse caso, o dinheiro não pode ser colocado acima de tudo.

A proibição no Twitter acontece num momento quente da política no Brasil e no mundo.



Nos Estados Unidos, Donald Trump já trabalha de olho na reeleição, no ano que vem.

Sem esquecer que ele é acusado por opositores de ter espalhado fake news pela internet, quando foi eleito. A favor dele e contra os concorrentes.

Enquanto, no Brasil, está em andamento a CPI das Fake News.

Inclusive com acusações contra o presidente Jair Bolsonaro de também espalhar esse tipo de informação.