Compartilhe
Pronunciamento em rede nacional sobre o Coronavírus | Foto: Reprodução
Pronunciamento em rede nacional sobre o Coronavírus | Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro, atualmente sem partido, se pronunciou nesta terça-feira (24), em rede nacional de televisão, sobre o novo coronavírus no país.

Ele afirmou que o vírus chegou ao Brasil, que está sendo enfrentado e passará em breve. Disse que a vida precisa continuar e que os empregos devem ser mantidos.



Falou em histeria e pediu para que governadores e prefeitos abandonem o que chamou de “conceito de terra arrasada”, pedindo para que a população volte à normalidade.

Segundo Bolsonaro, o grupo de risco é o das pessoas acima dos 60 anos o que não justifica, por exemplo, o fechamento escolas.

O presidente também culpou os meios de comunicação por espalharem, “uma sensação de pavor” e disse que, se ele for contaminado, não pegará mais do que uma “gripezinha”, por ter histórico de atleta.

A fala do presidente, que durou pouco menos de 5 minutos, causou reação de aliados e da oposição.



Nas redes sociais, seus filhos Flávio e Eduardo Bolsonaro, manifestaram apoio ao pai.

Assista ao pronunciamento

O líder do governo na Câmara, deputado Vítor Hugo publicou que o pronunciamento foi excelente e que a visão de estadista e a coragem em ir na contramão da histeria coletiva vão salvar as vidas de milhões de brasileiros.

Já os que se manifestaram contrários ao posicionamento do presidente  ressaltaram que Bolsonaro contrariou especialistas e autoridades sanitárias do país e do mundo, que têm defendido o isolamento social como forma de conter a curva de contaminação e controlar a pandemia.

Em nota, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, avaliou que a fala é ‘grave’ e que país precisa de ‘liderança séria’.

Para Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, o pronunciamento foi equivocado ao atacar a imprensa, os governadores e especialistas em saúde pública.

Diversos outros políticos e autoridades reagiram com críticas à declarações de Jair Bolsonaro.