Compartilhe

No domingo, 4 de setembro, às
11h, a tocha paralímpica será acesa no Centro de Treinamento Paraolímpico
Brasileiro, localizado no km 11,5 da Rodovia dos Imigrantes, na capital
paulista. A chama paralímpica, que virá de Natal, será revezada por mais de 20
condutores durante atividades esportivas pelas quadras de voleibol sentado,
rúgbi em cadeira de rodas, basquete em cadeira de rodas, quadra poliesportiva,
campo de futebol, piscina, quadra de tênis e pista de atletismo.

A tocha paralímpica em São Paulo
será acesa pela interação do público com as hashtags #ChamaParalímpica e
#Transformação. Através de mensagens positivas enviadas pelas redes sociais, as
hashtags servirão como “faíscas” eletrônicas que, acumuladas, resultarão em uma
grande chama virtual que será exibida em um telão de led. Pelo painel, o
público poderá acompanhar em tempo real o número de “faíscas” enviadas. A ideia
é demonstrar que o engajamento das pessoas é o que acenderá a pira paralímpica.



No momento em que a grande chama
virtual é formada no telão, o mensageiro das Paralimpíadas em São Paulo, Mizael
Conrado, acenderá a tocha, pronunciará a mensagem e entregará a tocha para o
primeiro condutor. Conrado foi eleito o melhor jogador do mundo de futebol de 5
em 1998 e fez parte dos dois primeiros títulos paraolímpicos do Brasil, em
Atenas-2004 e Pequim-2008. Atualmente, é vice-presidente do Comitê Paralímpico
Brasileiro.

Cada cidade que receberá a tocha
paralímpica representará uma região do país e simbolizará um valor paralímpico.
Em São Paulo, que representa a região sudeste do Brasil, o valor destacado é o
poder da transformação. A organização da passagem é uma parceria entre a Rio
2016, Comitê Paulista das Olimpíadas e Secretaria de Estado dos Direitos da
Pessoa com Deficiência.

A Pira Olímpica, símbolo que
mantém a chama trazida pela tocha durante as competições, continuará no Centro
de Treinamento Paraolímpico Brasileiro mesmo após o encerramento dos jogos. A
ideia é manter o espírito olímpico eternamente no local.

Importante ferramenta de
inclusão, o esporte adaptado recebe destaque do Governo do Estado de São Paulo com
a criação do Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro, um entre os quatro
existentes no mundo, que recebeu atletas paralímpicos para aclimatação.



Outra iniciativa da Secretaria de
Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo é o Time São Paulo
Paralímpico, parceria com o Comitê Paralímpico Brasileiro, que conta com 34
atletas de elite das modalidades paralímpicas individuais: atletismo, bocha,
canoagem, judô, natação, remo, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vela
adaptada.

A Delegação Brasileira terá um
reforço para atingir a meta de ficar entre as cinco melhores no quadro geral de
medalhas dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Dos 278 atletas convocados, 33 fazem
parte do Time São Paulo Paralímpico.

Os Jogos Paralímpicos Rio 2016
serão disputados entre os dias 7 e 18 de setembro, no Rio de Janeiro. Mais de 4
mil atletas de 176 países são esperados para a disputa.