Compartilhe

Fiscais do trabalho recuperam, só neste ano, mais de dois bilhões de reais do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, o FGTS. O dinheiro deveria ter sido depositado pelas empresas nas contas dos funcionários.

O volume total recuperado entre janeiro e abril é 35 por cento maior que no mesmo período do ano passado.



O Ministério da Economia recomenda, pra evitar que o trabalhador seja lesado, que ele consulte se o patrão tem recolhido o FGTS.

Dá pra checar pelo site da Caixa ou se cadastrar pra receber os avisos de depósito no celular.

Se o empregador não cumprir com as obrigações previstas em lei, o funcionário pode entrar na Justiça.

O valor total recuperado em operações de fiscais do trabalho tem aumentado, nos últimos anos.



Em 2015, ficou pouco acima de dois bilhões de reais. Em 2016, passou de três milhões. Em 2017, de quatro bilhões. E, no ano passado, chegou a cinco bilhões.