Compartilhe

Atualizado em

Consumidores denunciam que existem pessoas se aproveitando da situação e comercializando o botijão entre R$ 55 a R$ 100.



Por Yuri Rossi

A greve dos trabalhadores das distribuidoras de botijões de gás de cozinha de São Paulo já provoca escassez do produto em várias cidades do Estado.

O consumidor já encontra dificuldades para encontrar o botijão, em quase todas as cidades do estado, e quando acha paga mais caro pelo produto.

Os trabalhadores das distribuidoras em greve pedem reajuste salarial além da participação nos lucros e resultados das empresas.



Para resolver o problema, revendedores acabam comprando botijões de outros Estados, o que deixa o produto mais caro, pois o frete é repassado para o consumidor, em média R$ 5.

Em Capivari a situação é parecida com a da região. Não houve aumento no valor do gás, mas os depósitos estão repassando o valor do frete.

O botijão era comercializado em Capivari entre R$ 40 a R$ 44. Já hoje com o repasse do frete o valor pode chegar a R$ 49.

Porém de acordo com algumas denúncias de populares existem depósitos e os próprios consumidores comercializando os botijões entre R$ 55 a R$ 100. Nossa equipe entrou em contato com alguns depósitos de Capivari e a informação de superfaturamento não foi confirmada.

Ainda de acordo com um levantamento feito pela nossa equipe a maioria dos depósitos de Capivari não possui mais o produto. A previsão é que novas cargas sejam direcionadas para a cidade entre o final da tarde de hoje e amanhã.

A próxima reunião entre patrões e trabalhadores do setor está agendada para a próxima terça-feira (13). A expectativa é que neste encontro trabalhadores, patrões e sindicato entrem em acordo para por um fim na greve.