Compartilhe

Não há duvidas de que escrever faz bem à saúde. Por pra fora nossos mais diversos sentimentos colocando-os em palavras sobre um papel nos ajuda a melhor lidar com nossas angústias e dores, e buscar a felicidade e o que nos dá prazer. Mas o que será melhor? Escrever sobre sentimentos positivos ou negativos?

A história da literatura sugere que escrever sobre nossas dores (assim como, para o leitor, se identificar na dor alheia) pode ser um bálsamo para as dores de fato, e pesquisas passadas já confirmaram que investigar emoções ditas negativas ao escrever faz bem para nossa saúde mental e física. Porém, uma nova pesquisa afirma que escrever sobre emoções positivas também faz bem para nossa cabeça.



A pesquisa contou com 71 participantes saudáveis, entre os 19 e os 77 anos. Eles foram separados em dois grupos aleatórios. A um dos grupos foi pedido que escrevesse sobre as melhores sensações e experiências de suas vidas, por 20 minutos diários. Ao outro grupo, o mesmo cronograma, mas escrevendo sobre temas neutros. Os níveis de estresse, ansiedade e as reclamações por conta da saúde física também foram relatados e monitorados.

O grupo que escreveu sobre coisas positivas teve uma considerável redução no estresse e na ansiedade – não houve, no entanto, confirmação sobre melhoras em sua saúde física. “Uma vantagem em escrever sobre emoções positivas é lidar com a raiz do estresse e da ansiedade”, disse um dos responsáveis pela pesquisa.

Se pesquisas anteriores haviam confirmado que escrever sobre emoções negativas fazia bem para a saúde mental e física, e essa nova pesquisa – pioneira na investigação sobre a escrita “positiva” – sugere que escrever sobre coisas boas também faz bem para a saúde mental, a conclusão só poder ser uma: escrever, seja sobre qual tipo de sentimento for, faz bem à saúde.

Fonte: Hypeness