Compartilhe

De acordo com dados da SSP (Secretaria da Segurança Pública), os bombeiros do estado de São Paulo registraram 25.438 ocorrências de incêndios em vegetações entre os meses de janeiro e agosto de 2020. O número representa um total diário de 103 casos, quantidade alarmante que, quando somada, equivale a um aumento de 7,8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Conhecida por conta da concentração de plantações de cana-de-açúcar, a região de Ribeirão Preto — localizada a 313km da capital paulista — é líder nos registros. Segundo informações do “Agora São Paulo“, entre janeiro e agosto foram contabilizados 2.980 casos pelos bombeiros do local, o que caracteriza 12 casos por dia. Se comparado aos mesmos oitos meses de 2019, houve um aumento de 10% nos focos de incêndios em vegetações da cidade.



Ainda de acordo com o “Agora São Paulo”, a promotora Cláudia Habib Tofano, do Gaema (Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente), do Ministério Público de Ribeirão Preto, afirma que “incêndios espontâneos são raríssimos”.

“A grande maioria, para não falar a totalidade, é provocada por ação humana. Digo isso com base no trabalho desenvolvido pelo Gaema com a Polícia Militar Ambiental e os bombeiros.”

Cláudio monitora as queimadas em 29 cidades do interior de São Paulo e também diz que as políticas públicas direcionadas a mitigar o problema não são adequadas, mas lembra: “Atear fogo em vegetação é crime, com pena de até quatro anos de prisão.”

Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, o governo de São Paulo reforçou, desde 2019, os trabalhos de combate ao fogo em vegetações no estado. O órgão também afirmou que a Coordenadoria de Fiscalização e Biodiversidade — que é vinculada à pasta — aplicou, por meio da Polícia Militar Ambiental, 570 multas por queimadas entre janeiro de agosto deste ano — número que aumentou 15% em relação ao mesmo período de 2019.



A quantidade de ocorrências possivelmente criminosas é ainda pior quando se avalia o aumento das temperaturas registradas em 2020 e a baixa umidade nesta época do ano.