Compartilhe

O novo coronavírus já estava circulando havia pelo menos 20 dias no Brasil quando multidões tomaram as ruas de grandes cidades para celebrar o carnaval, revela um estudo divulgado nesta segunda-feira, 11, pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz).

O trabalho mostra que o Sars-CoV-2 começou a se espalhar no País ainda na primeira semana de fevereiro, ou seja, mais de 20 dias antes de o primeiro caso ser diagnosticado oficialmente em um viajante que retornou da Itália para São Paulo. O caso foi detectado em 26 de fevereiro, quarta-feira de Cinzas, quase 40 dias antes das primeiras confirmações oficiais de transmissão comunitária, em 13 de março.



O trabalho mostra que, quando os primeiros blocos foram para as ruas, já havia transmissão comunitária da doença, que, provavelmente, foi muito acelerada pelas aglomerações. Os primeiros casos seriam do fim de janeiro.

O estudo foi feito com uma metodologia estatística de inferência, a partir dos registros de óbitos, e publicado na revista “Memórias do Instituto Oswaldo Cruz” de forma prévia, ainda sem revisão de pares. O trabalho também revelou que o vírus começou a circular muito antes do registrado oficialmente na Europa e nos Estados Unidos.

Os autores destacam que, em todos os países analisados, a circulação da Covid-19 começou muito antes que fossem implementadas medidas de controle, como restrição de viagens aéreas e distanciamento social.

Além de ajudar a esclarecer o início de transmissão local do Sars-CoV-2 nos países estudados, os autores destacam que os resultados obtidos reforçam a importância da implementação de ações permanentes de vigilância molecular, uma vez que o novo coronavírus pode voltar a circular e causar surtos ao longo dos próximos anos.