Compartilhe

Uma nova tendência tem ganhado força nos processos seletivos para conseguir emprego.

Alguns recrutadores têm utilizado técnicas de design de jogos para enriquecer contextos não relacionados ao universo de games.



Em entrevista ao portal Infomoney, Rodrigo Vianna, CEO da Mappit, empresa da recrutadora Talenses, explica que existem várias formas de aplicar a chamada gamificação na hora de contratar.

Ele diz que a ideia é agilizar o processo, tirar um pouco da pressão e deixar mais divertido para o candidato.

O recurso é usado em contratações que demandam um tempo maior e os objetivos variam de acordo com a empresa e a vaga.

A Nestlé, por exemplo, usou um formato na etapa presencial que simulava uma espécie de Escape 60, espaço que propõe jogos em salas temáticas, das quais os participantes tem uma hora para sair.



A gerente de aquisição de talentos da empresa de alimentos, Ana Schiavone, conta que na etapa online, foram aplicados testes de raciocínio por meio de aplicativo.

Em outra seleção, os candidatos a uma vaga na Nestlé participaram de um jogo de computador com fases.

A siderúrgica Gerdau também já utilizou esse tipo de recurso para selecionar os melhores estagiários, em uma seleção interna.