Compartilhe

Custo de vida da população de baixa renda dispara 0,49 por cento, em fevereiro.

A pesquisa foi feita pela Fundação Getúlio Vargas, que levou em conta os produtos e serviços essenciais e mais consumidos por quem ganha até duas vezes e meia o valor do salário mínimo.



Destaque negativo para o feijão carioca, que ficou 35 por cento mais caro.

A lista com as principais altas tem, ainda, a batata, com alta de 25 por cento, a alface, a conta de luz e a passagem de ônibus.

Já entre os itens que ficaram mais baratos, chama a atenção o tomate, cuja queda chegou a nove por cento.

Por fim, a análise por grupos de despesas mostrou que em três os preços caíram: vestuário, educação e comunicação.



Ou seja, os gastos com: saúde, transporte, alimentação e habitação aumentaram.