Compartilhe

Parceiro da dupla mais popular na mesa do brasileiro, o feijão deixou a refeição mais salgada este ano.

O preço do grão da família das leguminosas subiu mais que a carne.



Pra se ter uma ideia, em doze meses, apenas dois tipos tiveram aumento menor do que a carne bovina, que ficou 14 E MEIO POR CENTO mais cara.

Já as variedades fradinho e o carioca – o preferido na maior parte do país – dispararam, com alta de 21 e 43 por cento.

Mas o vilão mesmo foi o feijão-branco, mais consumido no sul do país, que quase 65 POR CENTO no período.

Os números são do Índice de Preços ao Consumidor Amplo e levam em conta os valores médios, com variações regionais.



Apesar de o índice ser maior do que o aumento da carne, o impacto na inflação é menor, já que o feijão tem custo mais baixo, destaca o IBGE.