Compartilhe

Despesas médicas podem ter um teto para dedução no cálculo do Imposto de Renda, diferente do que foi comentado na semana passada pelo secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra.

A ideia defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, era acabar com as deduções de saúde e educação em troca da redução da alíquota e ampliação da faixa de isentos.



Cintra declarou na segunda-feira, que a proposta é restringir a dedução a um teto, desde que não haja redução na arrecadação.

Para o governo, essa parcela deduzida com gastos de educação e saúde favorece os mais ricos, uma vez que a classe mais pobre utiliza o Sistema Único de Saúde.

Também devem ser limitadas as deduções concedidas a pessoas com deficiências, que segundo Cintra, são abusivas.