Compartilhe

Lewis Hamilton vence o GP da Turquia, de Fórmula 1, e conquista o mundial da categoria pela sétima vez. Agora, ele é o recordista em títulos, empatado com o alemão Michael Schumacher.

Apesar de ter largado apenas em sexto, por tudo o que aconteceu no treino de sábado, como a chuva e a pista escorregadia, depois de um recapeamento, Hamilton sabia que estava perto de ser campeão.



Para conquistar o título de maneira antecipada, precisava, por exemplo, chegar à frente de seu companheiro de Mercedes, o finlandês Valtteri Bottas.

O único com chances matemáticas, antes da prova, de ainda alcançar Hamilton na classificação. Mas o inglês não quis correr riscos.

Passou boa parte da prova entre quinto e sexto, ficou na pista quando alguns rivais fizeram a troca de pneus, ganhou posições e cruzou a linha de chegada em primeiro, muito à frente de Bottas, que rodou logo na largada e foi apenas o décimo quarto.

Numa corrida diferente, na qual Max Verstappen, da Red Bull, também rodou, o pódio teve, ainda, Sérgio Peres, da Racing Point, em segundo, e Sebastian Vettel, da Ferrari, que voltou a andar bem, em terceiro.



Engajado na luta a favor das minorias e contra o racismo, Hamilton chorou bastante e disse que era importante que as crianças vissem onde ele, que é negro, chegou.

E que elas não devem aceitar que alguém diga que o sonho delas é algo impossível.

A próxima corrida da Fórmula 1 será daqui duas semanas, no Barein.