Compartilhe

Vírus espião capaz de monitorar telas de aparelhos afetou brasileiros usuários do Android desde o início do ano.

Hospedado no Google Play Store, o software malicioso se apresentava como uma atualização do WhatsApp e recebeu mais de dez mil downloads.



O vírus virtual foi identificado pela empresa de cibersegurança Kaspersky e recebeu o nome de Brata.

De acordo com os especialistas, ele era capaz de copiar todas as atividades da vítima, desde conversas pessoais até senhas de banco, além de ativar a câmera e o microfone.

Para convencer os usuários a cair no golpe, o BRata enviava notificações em sites comprometidos, mensagens no WhatsApp ou por SMS, e links patrocinados nas buscas do Google.

Foram descobertas mais de 20 variantes do vírus espião e a estimativa é que ele tenha feito cerca de 550 vítimas por dia.



Assim que foi detectado, o BRata foi bloqueado pelo Google.