Compartilhe

Usuários de redes sociais com mais de 65 anos são os que mais acreditam em notícias falsas, os chamados fake news.

E também são os que mais compartilham essas informações.



É o que aponta uma pesquisa feita por analistas das universidades de Nova York e Princeton, nos Estados Unidos, que analisou três mil e 500 pessoas.

O comportamento foi verificado em idosos de diferentes classes sociais, independentemente da faixa de renda ou nível de estudo.

Um dos motivos apontados pelo estudo foi a falta de habilidade digital para identificar uma notícia falsa.

Na pesquisa, cerca de onze por cento deles admitiram que já compartilharam fake news.



Entre as pessoas de todas as idades, oito e meio por cento também admitiram que já repassaram pelo menos uma notícia falsa.

As informações são do site Tec Mundo.