Compartilhe

Dados do Instituto Nacional de Seguridade Social mostram que a quantidade de processos de aposentadoria saltou de 153 mil, em junho, para 235 mil e 500, em julho. Um crescimento de 54% entre um mês e outro.

Vale lembrar que um Projeto de Emenda à Constituição com mudanças nas regras da aposentadoria está sendo analisado pelos parlamentares desde junho.



O texto da PEC da Previdência começou a tramitar na Câmara dos Deputados no sexto mês do ano e foi aprovado, em 1º turno, em julho, mês em que houve alta no número de pedidos de aposentadoria.

A reforma agora está sendo analisada no Senado.

Para o INSS, porém, o aumento no número de pedidos é devido à ampliação dos serviços digitais. Ficou mais fácil, segundo o Instituto, pedir o benefício.

De acordo com o órgão, o segurado que já tem as condições necessárias para requerer a aposentadoria, ou seja, tem o direito adquirido, não precisa adiantar processo, já que eventuais mudanças nas regras não o afetaria – o que, portanto, para o INSS, não justifica o aumento.



Entre os principais pontos da reforma estão idade mínima de 62 anos para mulheres e de 65 para homens se aposentarem, tanto na iniciativa privada quanto do setor público. 

O tempo mínimo de contribuição na nova regra será de 15 anos para mulheres e 20 anos para homens.

Há algumas regras de transição. Uma delas é o tempo mínimo de contribuição para quem já está no mercado de trabalho, que será de 15 anos para trabalhadores de ambos os sexos.