Compartilhe

Atualizado em

Juros cobrados do consumidor fecham setembro em queda. Pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, a Anefac, mostrou que as taxas caíram em todas as modalidades de empréstimo pesquisadas para pessoa física. Ou seja: cartão de crédito, crediário, cheque especial, empréstimo pessoal e o CDC, para financiamento de automóveis.
Essa última modalidade, aliás, teve a maior redução: 1,09 por cento, para uma taxa média de 1,81 ao mês.
Entre todas as linhas de crédito pesquisadas, os juros mais altos são os do cartão e do cheque especial. Que chegam a quase 12 por cento ao mês e a cerca de 280 por cento ao ano.
Em nota, a Anefac avaliou que as taxas de juros cobradas no Brasil, no geral, seguem altas. E que as reduções de setembro aconteceram porque a melhora da economia diminui o risco de que o cidadão não pague o empréstimo.