Compartilhe

Laudo apontando morte acidental só será considerado ilegal se for contestado.

A família da cantora Amy Winehouse disse na quarta-feira (1) que está recebendo orientações depois de ser informada que a legista que autopsiou o corpo da cantora deixou o cargo por não estar qualificada para trabalhar na Grã-Bretanha.



Segundo a imprensa britânica, Suzanne Greenaway foi nomeada para o cargo pelo marido, que agora está sendo investigado pela Comissão de Queixas Judiciais.

Em nota à imprensa, a família Winehouse disse “estar recebendo orientações sobre as implicações disso, e vai decidir se alguma nova discussão com as autoridades será necessária”.

Winehouse, conhecida pelos hits Rehab e Back to Black, morreu em 23 de julho, aos 27 anos, na casa onde morava, em Londres.

A investigação sobre a morte apontou que ela tinha na corrente sanguínea o quíntuplo do teor alcoólico permitido para motoristas.
Um porta-voz do Conselho de Camden, responsável pela investigação, disse que Greenaway não podia fazer a perícia por não ter cumprido um tempo mínimo como advogada no Reino Unido.



Ele acrescentou que o laudo apontando morte acidental só será considerado ilegal se for contestado ou revertido pela Alta Corte.