Compartilhe

Cerca de 250 milhões de crianças menores de cinco anos estão prejudicadas pela má alimentação em todo o mundo.

O alerta é do Fundo das Nações Unidas para a Infância, o Unicef, que divulgou, nesta semana, um relatório sobre o assunto.



De acordo com o órgão, significa que uma em cada três crianças dessa faixa etária sobre de sofre de desnutrição ou excesso de peso.

Sobre a desnutrição, o relatório mostra, ainda, que, apesar dos avanços no combate ao problema, nas últimas décadas, aproximadamente 149 milhões de crianças menores de cinco anos ainda apresentam atraso no crescimento devido à falta de nutrientes e pelo menos 50 milhões estão com baixo peso para a altura que apresentam.

A magreza excessiva em crianças, que muitas vezes pode ser fatal, é um problema observado principalmente na Ásia e na África.

Por outro lado, o relatório registrou também um crescimento grande o número de crianças acima do peso.



Segundo o Unicef, mais de 40 milhões de menores de cinco anos sofrem de sobrepeso ou obesidade.

Um dos alertas feitos no relatório é o fato de que as práticas alimentares ruins começam desde cedo.

Para se ter uma ideia, em todo o mundo, quase 45% das crianças entre 6 meses e 2 anos de idade não são se alimentam com frutas ou vegetais e 6 em cada 10 não comem ovos, laticínios, peixe ou carne.

A consequência da má alimentação é 1 em cada duas crianças menores de 5 anos sofre de deficiências em vitaminas e nutrientes essenciais. São cerca de 340 milhões de pequenos com deficit, por exemplo, de vitamina A e ferro.