Compartilhe

570 mil, 543 pessoas deram entrada no seguro-desemprego no mês de julho. O número, divulgado Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, é quase 9% menor do que o registrado em julho do ano passado.

Já na comparação com o mês anterior, junho deste ano, portanto, a queda é ainda maior: 12,7%. Para lembrar, no sexto mês do ano, foram feitos quase 653 mil e 200 pedidos pelo auxílio.



Ainda de acordo com os dados oficiais, 66 em cada 100 pedidos foram realizados pela internet, num total de 37 mil, 864 solicitações online. O estado com a maior quantidade de requerimentos foi São Paulo:  177 mil, 305 pedidos, pouco menos de um terço do total.

Na sequencia, aparecem Minas Gerais, com 62 mil, 274, e Rio de Janeiro, onde foram feitos 47 mil e 75 pedidos de seguro-desemprego.

Os números da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho também revelam que a maioria dos pedidos partiu de trabalhadores desligados de empresas do setor de serviços: quase 43 e meio por cento. Comércio e indústria aparecem na sequência, com índices de 25,7% e 16,1%, respectivamente.

Outro dado relevante é com relação ao acumulado do ano. De janeiro a julho, já foram contabilizados 4 milhões, 521 mil, 163 pedidos de seguro-desemprego. Esse número é 11% maior ao acumulado no mesmo período de 2019.