Compartilhe

A Marinha atualizou, na última sexta-feira, os dados sobre as operações de recolhimento de óleo no litoral brasileiro.

Segundo o que foi divulgado pelo o Grupo de Acompanhamento e Avaliação, formado também pela Agência Nacional de Petróleo e pelo Ibama, já foram recolhidas, das praias 4 mil e 700 toneladas de resíduos.



O coordenador do grupo, almirante Campos, afirmou que a situação está estabilizada no momento.

Desde que foi registrada a primeira mancha de óleo, após vazamento em alto mar, 803 localidades foram atingidas.

O óleo chegou primeiro na Paraíba, entre fim de agosto e começo de setembro. Depois, atingiu todos os outros 8 estados do nordeste e também já foram recolhidos resíduos no Espírito Santo e no Rio de Janeiro.

As responsabilidades pelo desastre ambiental ainda estão sendo apuradas.



A Marinha descarta totalmente, no entanto, que tenha sido causas naturais, em razão de possíveis fissuras geológicas no fundo do oceano.

O mais provável é que o óleo tenha vazado de alguma embarcação que não relatou o ocorrido.

Também está sendo investigada a possibilidade de um naufrágio.