Compartilhe

Lançado pelo presidente Jair Bolsonaro no início do ano, pacote de medidas para os caminhoneiros trouxe poucos resultados até agora.

Em sete meses, a linha de crédito de 500 milhões de reais aberta pelo BNDES efetivou apenas doze empréstimos, que totalizaram 350 mil reais.



Ao anunciar a medida, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil ofereceriam as condições especiais aos clientes, o que não ocorreu.

Também é baixa a procura pelo chamado cartão caminhoneiro, que garante preço fixo do diesel por 30 dias.

A BR Distribuidora informa que até agora, 15 mil motoristas se inscreveram.

O número que equivale a um e meio por cento do total de caminhoneiro autônomos do País, segundo dados da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos.



De acordo com o jornal Valor Econômico, a principal reivindicação da categoria ainda é o preço mínimo do frete, que está nas mãos do Supremo Tribunal Federal.