Compartilhe

Mesmo os fumantes sociais têm muito mais probabilidade de morrer de doença pulmonar ou câncer de pulmão do que os não fumantes, alerta um novo estudo do Columbia University Irving Medical Center, nos Estados Unidos.

O estudo mostra o quão errado esse pensamento pode ser. Ela incluiu quase 19.000 pessoas nos Estados Unidos, com idade média de 61 anos, que foram acompanhadas por uma média de 17 anos. Durante esse tempo, quase 650 morreram de doenças pulmonares (como enfisema) e 560 morreram de câncer de pulmão.



Entre os não fumantes, menos de 2% morreram de doença pulmonar e menos de 1% morreu de câncer de pulmão. Mas entre os fumantes sociais (menos de 10 cigarros por dia), esses números eram mais de 3% e perto de 5%.

Não surpreendentemente, os fumantes pesados (mais de 20 cigarros por dia) tiveram o pior desempenho, com mais de 10% morrendo de doenças pulmonares e cerca de 13% de câncer de pulmão.

Depois de levar em consideração outros fatores potenciais, como idade, sexo, etnia, nível de educação e peso corporal, os pesquisadores concluíram que os fumantes sociais tinham 2,5 vezes mais probabilidade de morrer de doença pulmonar e 8,6 vezes mais probabilidade de morrer de câncer de pulmão do que não fumantes.

Fumantes sociais tiveram cerca de metade da taxa de mortalidade por doenças pulmonares que os fumantes pesados, mas sua taxa de morte por câncer de pulmão foi dois terços daquela de fumantes pesados.



Além disso, os resultados mostram que reduzir o número de cigarros diários não substitui parar de fumar, concluíram os pesquisadores, que alertam que parar de fumar é a única forma de reduzir as chances de morrer por câncer de pulmão ou doenças pulmonares.