Compartilhe

Estamos na era das senhas. Os códigos secretos são usados para acessar celular, e-mail, conta bancária, rede social e mais uma porção de serviços.

Por isso, não é raro encontrar pessoas que usam sempre as mesmas credenciais, prática condenada por especialistas em segurança na internet. E eles têm razão.



Um estudo divulgado pela Google revelou que milhares de pessoas usam senhas que já foram invadidas.

De modo geral, 3 em cada 200 logins que são realizados na internet usam credenciais comprometidos.

No acesso a sites pornográficos, o comprometimento é ainda maior. Segundo a Google, de cada 100 senhas usadas em páginas do tipo, 6 não são seguras.

Recentemente, a Google lançou uma ferramenta experimental para ajudar os internautas. É uma extensão que funciona no Chrome, o navegador da empresa.



A ferramenta tem acesso a mais de 4 bilhões de nomes de usuário e senhas que foram hackeadas, e avisa sempre que o usuário entra em um site usando credenciais que já foram expostas.

E a Google afirma que está trabalhando em novos recursos para ajudar na segurança dos usuários da internet que usam o Chrome e que está desenvolvendo tecnologias semelhantes para outros produtos da empresa.