Compartilhe

Projetos de infraestrutura, planos de desenvolvimento econômico e atividades de exploração ameaçam 68 por cento da área protegida da Amazônia.

A conclusão é de levantamento da Rede Amazônica de Informação Ambiental Georreferenciada, sob a coordenação da ONG Instituto Socioambiental.



O estudo reuniu dados de governos e informações de imagens de satélites, para analisar os impactos de obras; atividades de mineração e extração de petróleo; queimadas e desmatamentos.

De acordo com o levantamento, os maiores danos são causados por projetos apoiados por governos federais e estaduais, como por exemplo, a abertura de estradas.

No Brasil, uma das principais ameaças é a mineração em área de floresta.

Já o desmatamento teve redução de 72 por cento em nosso País desde 2004, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, mas aumentou quase 14 por cento no último ano.



A Amazônia possui hoje 390 milhões de hectares dedicados à conservação ambiental ou que são territórios indígenas.

Além do Brasil, a região de floresta abrange outros sete países.

As informações são da BBC Brasil.