Compartilhe

Ela era para ser Sarah ou Caroline, mas os pais resolveram homenagear a parteira e o nome escolhido acabou sendo Corona.

Corona Newton, é funcionária pública, tem 55 anos, e é moradora da Grande Manchester (Inglaterra). Ela diz ser vítima de chacotas desde que se entende por gente.



“As pessoas me chamavam de Guinness e Budweiser”, disse a inglesa, referindo-se a marcas de cerveja, como a Corona.

Porém, com a pandemia do coronavírus, o bullying se tornou ainda mais intenso e cruel. Ela afirma que as pessoas agem com desdém ao tomar conhecimento do seu nome.

Ela também é alvo de ligações desagradáveis, que pedem que ela confirme o seu nome perguntando: “É aquele vírus?”

Mãe de cinco filhos, ela disse que um dia desses enquanto levava sua filha para uma consulta no dentista, ela recebeu um telefonema de um homem que começou a xingar.



“Ele gritou comigo ao telefone: ‘Qual é a sensação de f… o mundo todo?'”, disse Corona.

Em outro episódio com a filha, ela contou que quando ela compareceu a uma reunião de pais e mestre em uma escola, a professora pensou que a sua filha estava sendo grosseira ao se referir a mãe como Corona.