Compartilhe

Piso mínimo de frete para transporte rodoviário de cargas teve reajuste e novas regras, que começam a vigorar na próxima segunda-feira, dia 20.

A partir de agora, são 12 categorias enquadradas nas normas, com a inclusão de um novo tipo de carga, a pressurizada.



Foram criadas duas novas tabelas para as cargas de alto desempenho, que levam menos tempo para descarregamento, que não estavam na resolução anterior.

Custos do pneu e manutenção do caminhão sofreram reajuste dos valores.

Já a margem de lucro do caminhoneiro, custos com pedágios e movimentações logísticas não entram no cálculo do piso mínimo.

Outra mudança estabelece o pagamento do frete de retorno, nos casos em que é proibido transportar carga de volta, como no caso do caminhão que transporta combustível e não pode voltar com outro tipo de produto.



A multa para quem ofertar contratação de transporte abaixo do piso mínimo é de R$ 4.975,00.