Compartilhe

Organização Mundial da Saúde, a OMS, anuncia um novo método para esterilizar o Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

O processo, que na tradução para o português significa: técnica do inseto estéril, consiste em criar e liberar milhares de mosquitos machos incapazes de se reproduzirem.



Mesmo que se acasalem com as fêmeas, por serem inférteis elas não terão prole.

O objetivo da OMS é conseguir, ao longo do tempo, reduzir a quantidade de mosquitos Aedes aegypti, principalmente em países tropicais, que são os mais afetados pelas doenças que eles transmitem.

De acordo com o G1, a técnica foi desenvolvida pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos para combater insetos e pestes no setor agropecuário.

Especialistas afirmam que o método é utilizado há décadas na agricultura e já demonstrou que é seguro e eficiente.