Compartilhe

Parte do estado do Amazonas está em situação de emergência por causa do impacto negativo do desmatamento e de queimadas não autorizadas.

Com o estado de emergência decretado, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas vai coordenar ações para conter desmatamentos e, principalmente, queimadas.



O decreto fica em vigor até o começo de fevereiro de 2020 e vale para o Sul do Estado e Região Metropolitana de Manaus.

Entre janeiro a julho deste ano, segundo dados oficiais, o Amazonas registrou mil 699 focos de calor.

Mil, 372 deles, ou 8 em cada 10, aconteceram em julho, mês em que começa o período de estiagem no estado.

Apesar do número alto de focos de incêndio florestal, o Amazonas não é o que mais registra esse tipo de ocorrência entre os 9 estados que integram a área Amazônia Legal.



A maior quantidade dos chamados focos de calor até o fim de julho deste ano foi registrada no Mato Grosso: 8 mil, 779 casos.