Compartilhe

Os acidentes domésticos estão entre as principais causas de ferimentos nas mãos. Uma simples caixa de papelão pode causar cortes e resultar em infecções, como aconteceu com uma mulher de 49 anos, no Havaí (EUA).

O caso ocorreu em 2017, mas veio a público na última semana, após entrevista dela ao jornal britânico DailyMail. A mulher ainda faz fisioterapia para recuperar os movimentos da mão.



Ao organizar a mudança para uma casa nova, ela cortou a mão em uma caixa de papelão onde estavam itens que seriam transportados. Durante a noite, a mulher percebeu que o local estava ficando vermelho e inchado.

No dia seguinte, a situação piorou, com quadro evoluindo para febre e dor para movimentar o braço. Ela procurou um hospital e foi constatado estafilococos no corte, um tipo de bactéria presente na superfície de pele de cerca de 20% das pessoas.



Caso o ferimento demore para cicatrizar ou se houver sinais de inflamação, procure rapidamente por um médico. | Foto: Divulgação
Caso o ferimento demore para cicatrizar ou se houver sinais de inflamação, procure rapidamente por um médico. | Foto: Divulgação

O que dizem os médicos?

Especialistas da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM) explicam que as bactérias fazem parte da flora normal da pele, mas basta um pequeno corte, arranhão ou mesmo uma picada de inseto para que alguns desses micro-organismos ultrapassem essa barreira e provoquem infecções. Pessoas obesas, portadoras de diabetes, com problemas no sistema circulatório e deficiências de imunidade estão mais suscetíveis a infecções.

No caso da havaiana, enquanto as bactérias iam para o sangue, causando a sepse (infecção que pode atingir vários órgãos ao mesmo tempo), sua mão era devorada por uma fasceíte necrosante, mais conhecida como a ação das “bactérias devoradoras de carne”. Foram 65 dias de internação e tratamento com antibióticos.



A mulher teve a pele morta removida a cada três dias e, quando a área parou de se desintegrar, foi submetida a transplante de pele, mas sofreu um abcesso. Com isso, foi preciso uma cirurgia reconstrutiva. Ela passou por mais duas cirurgias até voltar para casa e ainda hoje passa por sessões de fisioterapia.

Como evitar

De acordo com os cirurgiões da SBCM, a melhor maneira de evitar infecções bacterianas é lavar com água e sabão as mãos e o local lesionado por um corte. Os especialistas ressaltam que é preciso ficar atento à aparição de algum sinal de infecção, como febre, vermelhidão intensa, mal-estar e dores no corpo.

Caso o ferimento demore para cicatrizar ou se houver sinais de inflamação, como vermelhidão, pus ou dor excessiva, a orientação é buscar rapidamente por um médico.

Raízes